sexta-feira, dezembro 08, 2006

A Mão do Macaco

O primeiro teaser do lançamento para 2007 da nova produção da Vinil.

A Mão do Macaco, de Jefferson Bittencourt.

Zuleika em O Rock da Lingüista Antropológica

A Diva pulsando rock, suor e purpurina no clipe de Marco Martins.

Beijos de Arame-Farpado - O trailer

Mais informações, com a matéria completa sobre as filmagens do polêmico trailer com Veludo & Cacos?

Veja nosso arquivo em

http://vinilfilmes.blogspot.com/2006_02_01_vinilfilmes_archive.html

LITERATURA # Fábio Brüggemann encontra Salim Miguel

O SIMCA DE SALIM ou ONÍRICO ROAD-MOVIE




Caminhar da sala à cozinha é uma viagem, calçar as meias é uma viagem, assim como tirar os óculos "para longe" e colocar os "para perto" é uma viagem. Para viajar, coloco os óculos virados para dentro do cérebro, nem perto, nem longe, apenas para ver o que se passa dentro de mim. Viagens são curtas, viagens são longas. E não é a distância que faz a melhor viagem. Fazer um filme sobre uma viagem é a jornada das jornadas. Aquela que se faz em um dia, porque jornada veio de "jour", de dia. Biguaçu é uma cidade cercada de viagens por todos os lados. Por isso, para levar o escritor Salim Miguel a Biguaçu, é preciso fazer duas viagens. Uma real, outra onírica. E a conversa que não escrevemos na viagem, nós filmamos. Desconfio, ao final, depois de decifrar os signos do simca chambord que ambas as viagens, como essa vida esquisita, são imaginárias.

Fábio Brüggemann

ARTISTAS CATARINENSES




VINIL FILMES em fase de produção da série Artistas Catarinenses.
Os documentários do projeto Artistas Catarinenses propõem o encontro, o choque, a fusão e o diálogo entre criadores catarinenses.
Seis documentários que retratam a experiência criativa do encontro entre gerações e estilos e compõem um panorama contemporâneo, vivo e pulsante, da produção cultural do Estado.
Música, Literatura, Teatro, Artes Visuais, Dança e Cinema são abordados de forma distinta e pessoal, procurando relacionar as especificidades de cada linguagem com a forma livre e experimental do documentário.

sexta-feira, agosto 25, 2006

Ângelo, o Coveiro



Com Renato Turnes
Direção Marco Martins

Filme piloto da série Ângelo, O Coveiro. Terrir mudo expressionista inspirado por Mojica, Nosferatu,Caligari, Buster Keaton e Jerry Lewis.

Uma produção Vinil Filmes
http://www.vinilfilmes.net/




terça-feira, julho 11, 2006

Vinil tem novo endereço!

A Vinil Filmes está com novo endereço!

Av. Hercílio Luz, Ed. Alpha Centauri, sala 810, em frente ao clube 12.
Nosso telefone: 3025-7557.

Esperamos visitas, para tomar aquele cafezinho e é claro, muitas propostas de trabalho!

terça-feira, junho 20, 2006

À Venda!

Extra Extra!

Dvds e Camisetas do "Isto não é um Filme" à venda na Varal e na Roots.
Corram e comprem o seus Kits que a edição é limitada!

segunda-feira, maio 01, 2006

Os iluminados!


A meta da meta da meta!


Galvãozinho da Trindade


Até às 2 da manhã, fazendo espetinho... valeu a pena!


Fiu-fiu, Funil, Vinil Filmes!


Em um belo domingo de sol, fechamos com chave de ouro as comemorações de lançamento do Isto!
Ao som de um bom sambinha, regado à espetinho, na presença de amigos, bom papo... pra que mais?

Surrasxquinho-de-gato







domingo, abril 30, 2006

É por isso!

O lançamento do nosso querido "Isto não é um Filme" foi um sucesso!
A sessão do CIC lotou, fiquei muito emocionada em ver a sala de cinema cheia de pessoas para ver um filme nosso. Nessas horas cai a ficha: é por isso que eu passo noites em claro, é por isso que eu trabalho até dormindo, é por isso que a gente passa por tantos desafios e dificuldades mas continua firme, é por isso!
A festa na Creparia bombou com casa lotada até às 4:30 da madruga. (vide vídeo e fotinhos abaixo).
Estamos todos felizes, satisfeitos e prontos pra outra: O churras com exibição, no nosso querido boteco Rios, amanhã! Ai meu Deus!

quinta-feira, abril 20, 2006

Tá quase tudo pronto !




Estamos na reta final de lançamento de " Isto não é um filme". Dvds na mão...quentinhos acabaram de sair...camisetas de todos os tamanhos com a linda estampa...também na mão....
falta muito pouco...sábadão é o dia!

domingo, abril 16, 2006


Estamos na estapa final!
O lançamento é na semana que vem. Já começo a sentir aquele friozinho na barriga, um misto de alívio com um vazio, expectativa, algo que está terminando para começar, sensação de missão cumprida ou comprida, hehehe.

O homem que não estava lá!


A Vinil está contente pelo prêmio que conquistou semana passada, dia 10 de abril no Edital de cinema e vídeo do Governo Estadual. Ganhamos o prêmio de vídeo, "A mão do Macaco", que será dirigido por Jefferson Bittencourt.
São tantas emoções... Filme terminando, lançamento chegando e de quebra levamos um preminho! Tá tudo muito bom!

domingo, abril 02, 2006

el famoso slide-guitar




... Finalizando.


Loli Menezes, Felipe Batata, Jefferson Bittencourt e Lucas de Barros numa das ilhas de edição da Vinil Filmes.


Estamos em fase de finalização, mais especificamente na ambientação sonora, nas trilhas, nos foleys, preenchendo os espaços com o som, o que dá uma vida incrível para a história.
Compomos algumas trilhas. Jeff e Batata enclausurados no ap do Lucas, gravando guitarras, pianinhos, criando temas, inventando história. Cachorro e Marco deram uma ajuda na produção, naquelas roubadas de última hora, onde sempre alguma coisa dá errado e alguém tem sair correndo para resolver.
Eu fiquei por ali, dando uns pitacos e curtindo o que estava acontecendo. É, o lançamento está marcado, dia 22 de abril, agora é um abraço pro gaitero e seja o que a Deusa quiser!

sexta-feira, março 24, 2006

Dois Palhaços

Vida E Morte de Peter Sellers
Stephen Hopkins, 2004

Tem filmes que caem nas nossas vistas por acaso e mudam coisas, tornam-se experiências sutis e cativantes, sem fazer alarde. Não têm diretor famoso, não é nem cult nem blockbuster, é só sinceramente um filme. Esse foi o caso de Vida e Morte de Peter Sellers, filme feito pra BBC de Londres, que , óbvio, conta a vida ( e a morte) do célebre ator inglês.

Tem um personagem inebriante. O hilário Inspetor Clouseau. O ator esplendoroso de Dr. Fantástico. O homem vazio de Muito Além do Jardim. Peter Sellers era um ator incorporado, um gênio infantil de personalidade estilhaçada, receptáculo vazio onde os personagens se alojam e respiram. Um atleta afetivo e esquizofrênico. Um palhaço cruel que chora por dentro e todo o tempo dói. Performer apaixonado incapaz de amar.

O filme é todo esse abismo que é o personagem.

Tem Geoffrey Rush, virtuoso, matematicamente similar e poéticamente vivo na pele-alma de Sellers.

Tem a condução criativa que mistura biografia com sequências de fantasia, lirismo e jogos metalinguísticos.

No dia em que sofre 8 paradas cardíacas consecutivas, Sellers tem uma experiência de quase-morte. Na cama do hospital agoniza. Agora está no cenário de Dr. Fantástico. Seus personagens surgem ao redor numa espécie de procissão, falam sem parar com vozes muito diferentes, se comportam. Vão fechando um círculo perturbador. Sellers atordoado por tantos outros que são ele mesmo. Revela-se que ele está sentado na ponta de um foguete que rompe o chão do cenário futurista e voa, carregando uma bomba. Explosão. No hospital Sellers acorda decidido a encontrar-se.

Basta.

O Homem das Novidades
Edward Sedgwick / Buster Keaton, 1928

Fui ao cinema, lugar onde se deve ver clássicos. Nesta obra-prima Buster Keaton é um fotógrafo de rua que apaixona-se pela funcionária de um Cine-jornal e vira cinegrafista. Muito já li sobre o que o filme fala de cinema e realidade, de toda reflexibilidade e de todas as asssociações poéticas e semióticas em The cameraman.

Eu queria falar do palhaço.

De seu olhar sem fundo,
no fundo solidão.

Do seu corpo ( in) crível.
Máquina de carne e riso.

De sua beleza estranha.
Ambígua.

Daquela gargalhada que não vi no seu rosto branco.

Do que ele tem de criança inocente e safado sem-vergonha.

Existe algo de andrógino em Buster Keaton,

como num anjo.