terça-feira, janeiro 31, 2006

O estado das coisas


O elenco se reuniu diante da TV para assistir o ensaio gravado. Num canto da sala, fiquei observando seus olhares vidrados, as cabeças apoiadas nas mãos, os cigarros entre os dedos.
Menos Gláu. Gláu não fuma, costuma abanar a fumaça que chega perto do rosto. Paulo ri feito louco quando se enxerga na tela. André fica compenetrado, deixa os comentários prá depois. Gláu e Renato se olham o tempo inteiro, sabem da responsa. Os dois formam o casal apaixonado do filme. Loli vai desvendando aos poucos, uma criança curiosa diante o Papai-Noel, presenteada a cada minuto com uma nova possibilidade. Jeff fala dos exercícios e das diferenças entre um ensaio e outro, sobre o processo. Todos falam ao mesmo tempo quando a empolgação atinge o ápice. Acharam mais um elemento que será absorvido para o filme. Constante criação & recriação. O elenco oferece consistência para o trabalho da diretora. Quando isto ocorre, a magia está mais próxima de rolar. A química. Troca ininterrupta de sacações e descobertas.
marco.

(na foto a partir da direita: Paulo, Gláucia, Renato e André)

sábado, janeiro 28, 2006

CONTAGEM REGRESSIVA & um sonho maluco


Faltam poucos dias para iniciarmos as filmagens. Estou cansado mas não consigo dormir... vai explicar... noite passada sonhei que estava no meio de uma produção de um comercial... Uma boca gigante foi cenografada na praia. O vai-e-vêm das ondas simulava o movimento de um Cepacol numa imensa boca tropical... surfistas pegavam as ondas como se fossem a sujeira, os resíduos que ficam entre os dentes... sim... os dentes! Os dentes eram feitos de isopor, perfeitos, do tamanho de televisores 29''... e lá pelas tantas fiquei conversando com uma garota, a diretora de arte... ela me explicando como havia feito os dentes...corta. Estamos eu e Loli esperando o Diretor do comercial do refrescante bocal dentro de um Mavericão ou num Opala sem os pneus dianteiros. O Diretor chega e começamos a andar de carro pela cidade... as rodas arrastando no asfalto, faíscas. Coisa de louco. Descubro que ele recebeu 40 mil de cachê...

Estou com medo de ir dormir...

Penso no filme o dia inteiro e acabo sonhando com comercias...

Melhor do que fazer comerciais o dia inteiro e sonhar com Cinema. Com certeza minha conta iria estar gorda... mas eu seria um ser humano triste.

Viva o Cinema Independente!!! Abaixo o Luis Henrique!!!!

Parabéns para o elenco no ensaio de hoje... Jeff e Loli merecem aplausos... experimentações, disciplina & método (Karl Marx), vontade, amor, improvisos e dedicação. Cine-Jazz.

"Era uma vez no Oeste" deu pau! Assistimos somente os primeiros vinte minutos... Muitos tiros, sangue e um espetáculo cinematográfico atrás do outro... o plano da chegada da personagem vestida de preto que não sei o nome na estação é fabuloso... começa num travelling, sobe pelo telhado e revela a vila inteira numa coreografia espantosa...tudo isso antes dela apanhar a carroça que a conduzirá para o local onde a família foi exterminada. Lindo demais.

Mas é isso. estou meio solitário no blog ultimamente... cadê todo mundo?? Faltam seis dia para o início das filmagens...Vou dormir e sonhar com pasta-de-dente...

Sganzerla está morto!

beijos de arame-farpado,
marco.

quinta-feira, janeiro 26, 2006

encontros e desencontros em La Mancha














Renato Turnes (Renato) e André Francisco (Clóvis)
durante o ensaio realizado no Teatro Armação


Seq. 10 - int/ bar pé-sujo/ noite (colorido)

CLÓVIS

Tudo bem!! Mas ainda acho que poderíamos trabalhar com o tripé de sustentação do Bom Cinema Americano!

CLARISSA
Ok!! Daqui a pouco tu vai dizer que todas as histórias são histórias de amor...

RENATO
Vai.

CLÓVIS
Bingo!

BRUNO
Bem!!... Eu tenho uma história!!

















Gláucia Grígolo (Clarissa) e André Francisco (Clóvis) durante o ensaio


GARÇONETE
Senhor?! ... não é permitido fumar aqui!!

CLÓVIS
Como é que é??

GARÇONETE (invocada, mostrando o cinzeiro)
É! Desliga a brasa, senhor!!! Desliga! Apaga!

CLÓVIS (irritado)
Porra... mas isso aqui é um café!! É... eu pensei que isso aqui fosse um café!!?? Mas... (resmungo)

GARÇONETE
São ordens da casa senhor!!

CLÓVIS apaga o cigarro no cinzeiro trazido pela sorridente garçonete.

















Os quatro amigos.

ENQUANTO ISSO...

Locações fechadas (de verdade!!!). A Creperia "Nouvelle vague" está nos apoiando. Rodamos lá na segunda-feira de madruga. O Supermercado que sempre nos apoiou "amarelou"... isto é, estamos precisando de um novo apoiador para a alimentação. O filme vai sair... acho que o Jeff tem que grudar na produção e registrar tudo... todos os trâmites e negociações, todas as mudanças que estamos tendo que fazer, todas as soluções mágicas, porque se pararmos prá pensar no que aqueles personagens estão dizendo no filme, é o seguinte: eles acham possível fazer o filme com o prêmio e eles vão fazer... não adianta querer fazer com que o filme fique com cara de filme grande... é guerrilha mesmo... exemplo: não rola gerador, muito caro o aluguel... Não temos como ligar nenhum refletor na cena noturna... beleza! Vamos iluminar a cena com os faróis dos carros!!! É Ruy Guerra na veia!! E isso tem que aparecer, ficar evidente!!! Precisamos do elenco afiado e do mínimo de estrutura... as saídas criativas tem que florescer na tela.
é isso. beijo prá todos que amam cinemar.

e Viva o Cinema-Verdade!

marco.

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Fragmentos, idéias e citações

Um filme é um filme!



filme dentro do filme dentro do filme
dentro do filme dentro do filme
dentro do filme dentro
do filme
(ad infinitum)




arte: marco martins

Entre um cigarro e outro: Midnight Cowboy (o charme) Hooper (a luz e o enquadramento) Kill Bill X Pulp Fiction & o sangue novo de Quentin Tarantino (que um dia perambulou por São Paulo, quando ainda era um cineasta independente, nos tempos do Cães de Aluguel...). O Amor fazendo o movimento de câmera. Pê Éfe e cheese-buguer. O Dragão da Maldade esquenta os ânimos da equipe, santos-guerreiros!! Boteco pé-sujo e todos lembram que o melhor é Viver a Vida. Cã-Cã CãCãCãCã-Cã CãCãCãCãCã-Cã CãCãCãCãCã-Cã ... Daunbailó (o Charme novamente) O Segredo (da Múmia, ora pois!) Conhaque ou Genebra. Chaplin no plano final. mini-grua mini-orçamento mini-brut. Chuva-de-Cinema Aqui-Agora Duelo Clássico. Campo semi-florido, sotaque ou caricato, ManHattan, Isto não é um Cachimbo, Popeye! O quê é um filme?

breve anotação de Loli Menezes depois de uma grande sacação...


segunda-feira, janeiro 16, 2006

Nunca brinque com uma mulher de arma na mão!

Brincando com referências e homenagens...

Anna Karina em Viver a Vida de Godard


Tom Waits em Down by Law de Jim Jarmusch



Duelo do Século

Trailer - Kill Bill II de Quentin Tarantino



Cofee and Cigarettes - Jim Jarmusch


16/01/2006 - A Pré-Produção continua...
















Marco e Daniel adoeceram... Ai meu Deus!!!!!!!!!
Mas tudo bem, a produção não pode parar! Os ensaios com Glau e Renato começaram, nessa semana ensaiaremos com elenco completo, teremos prova de figurino, ensaio com câmera, tudo dentro do planejado.
Até nos meus sonhos eu estou produzindo. É inevitável em época de produção trabalhar o dia todo e quando vou dormir, sonhar que estou trabalhando. Ôh profissãozinha esquisita!

domingo, janeiro 08, 2006

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Isto não é um QG !!!!






Estamos querendo nos mudar, arranjar um novo QG, a casa do Marco e da Loli ficou pequeno demais pra nós 7 !
Quem tiver um QG pra emprestar, alugar, doar ou arrendar, favor entrar em contato.

Malkovich Malkovich, Malkovich? Malkovich Malkovich!

terça-feira, janeiro 03, 2006

Locações!

Esta é a cena da chuva, onde Renato e Garçonete se
encontram pela primeira vez.



Cena do Renato vendo a tela borrada, embaixo da ponte Renato (Marco) e Garçonete ( Daniel) no café

Hoje o dia foi produtivo.
Após algumas tentativas frustradas de buscarmos um QG, decidimos fazê-lo aqui em casa mesmo.
Pesquisamos mais locações, está quase tudo visto.
Agora à noite, vamos voltar à ponte, à Rio Branco e à praça para sentirmos como fica o visual!

O BAR!




Onde é dia, vê-se noite!

Algumas imagens do bar pé-sujo!

Imaginem!



Imaginem essa cena: Onde vê Caldeira, vê-se Garçonete. Ela está de óculos escuros, nesse fundo praia. A câmera afasta e vemos este painel super Kitch. A garçonete tira o óculos e vai até a mesa onde está Renato.

segunda-feira, janeiro 02, 2006

I'm ready for my close-up, mr. De Mille.

Referência torta 1:

Da série atores que interpretaram seus duplos. Onde começa um personagem, onde acaba um ator? Norma Desmond, a estrela esquecida de cinema mudo do magnífico Sunset Boulevard (Billy Wilder, 1950), " É " Gloria Swanson, a diva que interpretou esse papel de forma definitiva. Quando se percebe que Gloria está de alguma forma falando dela mesma, a personagem adquire um caráter trágico e patético. E a interpretação adquire traços realistas no meio do acting quase expressionista. "Eu não preciso de falas, meus olhos dizem tudo!".
A mais cruel e cortante história sobre o cinema indústria.
Ok, acalmem-se! Não vou descer nenhuma escada pensando ser a princesa Salomé, o que importa é o que está invisível.

Renato