terça-feira, novembro 23, 2010

2010 foi mais ou menos assim




No início do ano, enquanto a juventude veraneava e curtia as delícias da estação, os produtores da Vinil Filmes trabalhavam duro nos documentários da série Ilha 70


As escolas de samba aqueciam os tamborins no mesmo instante em que a equipe chafurdava revistas, rolos de super-8 e jornais empoeirados.



Em fevereiro, Loli e Bianca produziram Andares, intervenções no edifício das Diretorias, no centro de Florianópolis.



No mês de março, eu e Mr Turnes mergulhamos no longa de Tânia Lamarca, Amores Raros. Não vou publicar nenhuma foto de Baldina, a personagem de Renato, para guardar surpresa.





A preparação do longa foi intensa. Ensaios com elenco, produção de figurinos e cenários, visita às locações. Tânia Lamarca me ensinou muita coisa sobre direção cinematográfica.




Beijos de Arame Farpado foi exibido no FAM, e levou os prêmios de Melhor Direção de Arte (Loli Menezes) e Melhor Montagem (Marco Martins).


O curta ainda foi exibido em Goiânia e em dezembro estará no festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte.

A TV Globo esteve na Ilha no segundo semestre para gravar os capítulos iniciais da próxima novela das 21H, Insensato Coração. Loli e eu fizemos a produção local. Denis Carvalho, o diretor, uma numerosa equipe e grande elenco estiveram por aqui no mês de outubro.





Antes do início das gravações, no dia 21 de agosto, Nina de Menezes Martins nasceu.



Em outubro, Mr Turnes estreiou O Fantástico Homem Que Imita A Si Mesmo, último espetáculo da Trilogia Lugosi. Fernando Bonassi, autor do peça, esteve na Ilha para uma conversa com os realizadores e público.



Em novembro fui convidado pela produtora Contraponto para dirigir as cenas ficcionais do documentário "Educação e o Mosca Morta", de Katia Klok. Foi muito prazeroso dirigir Chico Caprario de Robinson Crusoé e o ator japonês Ken Kaneko como um mestre de segunda categoria. Kaneko fez muito sucesso nos anos 80, neste comercial:

http://www.youtube.com/watch?v=eI_FzHdgMsk




O ano ainda não acabou, a Vinil agora tem um braço comercial, Loli está na produção dos web-commercials (sim, porque na publicidade o lance é falar inglês) e em breve teremos um piloto de um programa de TV saindo do forno, uma parceria com Marquinhos Espíndola e outros amigos. O documentário sobre os 40 anos do Circo-Teatro Biriba está em fase de montagem e mil ideias estão aos poucos tomando forma. 2010 está chegando no fim, mas é só o começo. Que venha 2011!!

marko

Um comentário:

MH disse...

Como disse meu guru para assuntos culturais - Gui Weber : "Vem 2011, humilhe 2010"!!!! Grande ano para a Vinil!!!

Abs

Magali Heinze